27.5.18

Manhã de Nevoeiro


Eu bem disse no post anterior, que ia começar a fazer "publish" de tantos posts que ficaram em draft. Aliás, dei-me conta que nem inseri aqui neste meu timeline visual de vida, o primeiro aniversário da "Ika" (nome que a Babe2 lhe dá).

Não é absolutamente fantástico ter esta serra de Sintra aqui tão perto de Lisboa?
Saímos de manhã bem cedo como de costume para ir respirar ar puro. Saímos de uma Lisboa quente, para uma serra fria e húmida e chegamos mesmo a tempo de apanhar o nevoeiro antes de ele ter-se dissipado.
Por estradas apertadas e a "cotovelar" com os ciclistas, - que por acaso vê-se nitidamente que não gostam de cruzar-se com condutores - deparámo-nos com um cenário verdadeiramente saído de um novel e para grande espanto meu, o meu iPhone fez melhor trabalho em captar a magia, do que a minha câmara o fez :)

Sintra, és o meu refúgio perfeito do verão quente e pegajoso da cidade.


26.5.18

Princesas Num Palacete a "Palacetar"



Abri o blogger e dei-me conta que estou cheio de posts em "draft". Tudo bem. Podem continuar a ficar pendentes pois vou retomar aqui um novo post com a manhã de hoje.

Li na transversal que este fim de semana decorria o evento de Jardins Abertos. Wow, pensei eu! Vamos conhecer uns quantos que nunca fomos e com a mais valia de entrada gratuita. [Not]. Aqui pelo palácio dos Marqueses de Fronteira não se processou assim (parece que é domingo), mas não deixamos na mesma de o ir visitar. 
A ajulejaria, o verde e o azul é de suspirar!
Sucesso entre as miúdas (uma até encenava que era uma princesa - principalmente depois de ver um casamento real - haha), recantos encantadores e tudo no meio de Lisboa.

Passado meses sem vir aqui ao blogue - vida altamente preenchida com um novo full-time job desde Janeiro - o balanço é o mesmo: vida agitada, cansaço acumulado, e mais do mesmo.

- Agora fazer o esforço de fazer "publish" nestas coisas pendentes por aqui.
Até já!

xoxo - Joana






9.1.18

Imagens E Eventos Nunca Publicados E Ditos [de 2017]

Parque Bensaúde
Já houve o tempo em que documentava tudo aqui, aquilo que fosse relevante e "bonito". Este blog tem um verdadeiro espólio de eventos e momentos vividos por nós. Mas a conversa vai se repetir [bla bla bla não tenho tempo/paciência como tinha antes], por isso sem grandes rodeios e porquês, listo aqui alguns momentos de 2017, que remotamente foram capturados por uma camâra e não telefone *vejam só*.

2017 não foi um ano de grandes viagens mas foi de alguns feitos. Passamos a maior parte do tempo em Lisboa (exceto marido que viajou diversas vezes aos EUA, e lá vai ele outra vez este início de 2018 *Argh, hello solo parenting again*).

.
Quinta da Regaleira, Sintra.
Nasceu a minha terceira filha e vivemos os dias de alegria e cansaço a triplicar por Lisboa e arredores. Já listei no meu instagram os grandes highlights do ano (aqui) mas sem falar do que foi duro e difícil de aguentar. Já todos sabemos bem que estas coisas da vida virtual não é tudo o que se pinta, mas ando aqui para me inspirar e inspirar outros e não para falar tanto de obstáculos e angústias e dificuldades. Como disse acima: só o bonito e relevante aqui para mais tarde recordar com sorriso. Como às vezes as regras são para ser quebradas, vamos arrojar hoje (um bocadinho) e falar do menos "bonito". Cru e duro.
Mas sinceramente, nada de muito grave ou complicado que uma boa dose de sono não cure. Eu sei que há muitos problemas mais graves na vida e o estar cansado e deprivado de sono parece tão irrelevante, mas só mesmo quem passa por isto sabe como pode afetar TANTO um estado mental e físico claro. Fica-se mais suscetível a irritabilidades, a confrontos, a zangas, sem paciência, etc, etc...

Aldeia da Mata Pequena || Tantos passeios lindos com a Miriam - um dia publico aqui um best off de todos aqueles que fotografei com ela.
Quis eu dedicar-me a fundo a voltar a ser ativa fisicamente e exercitar para pôr fora de mim, este peso de gravidezes seguidas. Falhei. Sei que uma alimentação leve e umas endorfinas a bombar no sistema ajudariam a levar uma vida mais alegre e solta. Mas falhei. Olho-me ao espelho e não vejo a mesma Joana de todo. O trabalho duro de criar crianças e cuidar de uma casa (sem empregada), e de orientar projetos, e agendas de todos, e mil e uma tarefas diárias, só contribuem ainda mais para o estado debilitado.
Eu, sinceramente devia estar quieta e não escrever este post pois a noite mal dormida de ontem (outra vez claro), leva-me a este discurso mais derrotista. Mas acho que deitar cá para fora estas maleitas todas, aliviam um pouco do peso duro de ser mãe, mulher, empreendedora... E que se lixe discursos bonitos e floreados. Estou cansada e sinto-me um caco. Pronto, está dito.

As miúdas estão bem e energéticas e sou obviamente muito grata a isso tudo. Saúde ACIMA de tudo e todos. O resto lá se compõe um dia. *Vizinhos, se estão a ler isto, peço desculpa pelos gritos diários matinais destas irmãs que embirram muito umas com as outras*

Um dia na praia da Costa da Caparica

Ai mas os "infectários", isso sim, leva a um discurso para outro post. Porquê tantas doenças constantemente?? *eye roll*.
As babes vão bem. Cheias de energia... principalmente a do meio. Personalidade forte que não gosta de ser contrariada e esguicha a toda a hora *socorro*. Fico a torcer que seja só esta fase dos dois anos. Please, que passe rápido. Ou não passa?
Não sabia de todo o que era ter dificuldades com crianças. Se bem que pelo meu terapeuta (sim, ando a fazer terapia e acho que todos o deviam fazer na vida), ela é que é a "normal" e saudável! "Ah grita e resmunga com tudo? Boa, tem voz e sabe o que quer na vida".
A filha mais velha era de uma tranquilidade e facilidade de poder: dar de comer, vestir, passear, andar de carro sem gritos, DORMIR e doravante. Fomos "mal habituados" nesta coisa de parentalidade sem obstáculos. Mas agora vejo que isso não era a norma e eu não sabia o que era a norma. - Mas há norma? - Tenho enfrentado este papel de mãe sem livros, sem estudos e sem regras. Vou com a onda: às vezes com mar flat e tranquilo, e outros com ondas gigantes, assustadoras e tempestuosas.  


Parque da Serafina - Babe2. Sabe o que quer e para onde vai e tira todo o proveito disso - A deliciar-se e a lambuzar-se com um gelado. Os únicos minutos em que ela parou.
Uma das coisas que mais ambiciono fazer daqui para a frente ou chamar-lhe de resolução vá, é simplificar. Voltar ao básico. Tentar levar uma vida mais minimalista desprovida de demasiados exageros e estímulos. Muita informação e dessarumo a entrar numa cabeça como a minha que é provida de um bocadinho de obsessão com a perfeição, leva-me a um maior desgaste. Estar mais desligada para poder estar ligada comigo mesma e com os outros. Coisas simples como: espaço com menos tralhas, voltar a por um despertador no quarto e deixar o telefone fora, LER (quero tanto voltar a isto. Tanto), tirar mais fotografias analógicas e procurar aquilo que mais me inspira, menos tecnologia e mais natureza...Ser mais "eu" e menos aquilo que pensam que sou. Ter mais tempo para mim!


Brugata Landhandleri  - Um dos projetos do meu irmão em Oslo
 
Ahhh, e viajar. Viajar. Que saudades. Não há nada mais enriquecedor do que conhecer o mundo e pôr tudo numa outra perspetiva. Sentimos os pés bem assentes na terra. Viver mais experiências e menos "coisas". O ano passado já consegui um pouco entrar neste minimalismo de comprar apenas o mínimo e essencial e reservar as energias para aquilo que interessa mesmo. Eu sei que tenho que ser menos dura comigo mesma pois acabei literalmente de ter bebés e precisam tanto da mãe e eu delas, mas um dia volto à carga. Carga de viajar, claro.
Fui no entanto a Oslo de fugida, um fim de semana para visitar o espaço das fotografias acima.. Um dia publico aqui um post sobre este projeto do meu irmão...

Monsanto, num final de dia, à fresca e com pouca luz.

E por falar em projetos, temos uns na manga. Já andei a fazer um "tease" no instagram. Eu sei que estas coisas de tease são uma parvoíce e uma chatice! Porque é que não é logo dito, caramba!? Se não é para dizer então não o digam. Têm toda a razão. Mas quando as coisas estão ainda em estado muito embrionário e à mercê de terceiros e aprovações, o ideal é estar mais hush-hush.
É algo muito giro (a nossos olhos) e vai nos levar de volta à terra. Que saudades que tínhamos... Lá está, voltar ao básico. Afinal ser básico é mais complicado e enriquecedor do que se julga.

2017 trouxe à tona um projeto em paralelo e mais por paixão - as minhas cestas, como já muitos sabem. Esse vai continuar ainda em 2018 e dá-me imenso prazer fazê-lo.

Babe3 - a boneca careca cheio de boa disposição.
A querer terminar agora este extenso desabafo em que tento pôr de fora mais sobre a verdadeira pessoa que está por detrás deste blogue - já lá vão tantos anos aqui que estava na hora - e por isso quero tocar neste assunto de meios sociais. Fala-se tanto agora do que é que andamos a depreender disto tudo, destes meios e muitos estão a começar a cair num buraco negro em que a criatividade foi sugado ou já nada lhes entusiasma.
Acredito que às vezes o que é demais, enjoa. Felizmente não me deixo afetar demasiado pelo que circula e tudo isto (blogue e instagram) é o meu diário visual... Aqui não se aprende grande coisa ou às vezes não tenho muito que entregar, a não ser imagens do nosso quotidiano, viagens, vivências e momentos marcantes para registar e posteriormente recordar. É só mais um espaço de alguém neste mundo internauta que aprecia um bom detalhe e oportunidade fotográfica. 
Por isto tudo quero também voltar a fotografar mais do que gosto e menos do que os outros querem ver.

Natal 2017 - e não é que não fiz nenhum post sobre esta época?
Obrigada mais uma vez por terem acompanhado visualmente (e oh minha nossa, por terem lido até aqui), este diário.

Agora 2018... bem, enquanto Janeiro não passar e este peso do "e agora? e que "página da vida escrevo agora?", e "quando é que volto a dormir para ter mais animo e criatividade e força e parar de procrastinar?" É que não há mesmo tempo a perder com isto tudo :)
Já todos sabemos como tudo passa a correr, e como passa....
Quero passar a gostar mais de mim, a ter mais tempo para mim, a cuidar mais de mim... Nada disto de vida faz sentido se não formos felizes connosco próprios. Pais felizes, crianças felizes. Ah, e quero passar a tirar mais fotografias de mim, mesmo que olhe para elas e diga "ai, estás a ficar velha e cansada Joana". Mais fotografias com as minhas filhas também, já agora, e daquelas impressas e postas em álbum.

Deixo aberto a possibilidade de fazerem perguntas se acharem interessante quererem saber de mais detalhes.

Olá 2018! Estou a contar que sejas bonzinho connosco. Até já.

xoxo - Jo

Viagem até ao norte profundo, à terra Transmontana. A fazer um post destes dias de verão para breve

6.11.17

2 Anos || Babe2


Já foi há quase um mês que a babe 2 fez 2.
A menina da flor amarela, que é um furacão mas que adora "meninar-se". O cabelo finalmente lhe começa a crescer, adora usar vestidos, colares, ganchos no cabelo fino, e explorar tudo à frente. Uma madrugadora nata, uma garganta forte, uma obstinada ferranha mas um doce de menina.

Foi um dia simples, simples. Nada de festas pois nesta idade ainda não percebem o que se passa. Cantamos os parabéns, comemos um bolo de limão e coco delicioso, e brincamos.

E agora, ai e agora...que venham os "terrible two´s" :D Estamos contigo filha!

Macaquita do coração💓 <3 br="">

5.11.17

Deixem-me Fotografa[la]r


Já faz um ano e pouco desde que voltamos dos EUA. Não tenho atualizado tanto este blogue como gostaria. Mesmo que ninguém o leia, é uma forma terapêutica e uma plataforma de arquivo que tenho, desde sempre. Desde que comecei o gosto da fotografia. Desde que tirei o curso de fotografia e principalmente desde que fui mãe e fui viver para os Estados Unidos.
Tenho saudades do tempo mais organizado que tinha, de ter mais disposição e menos cansaço para estas "terapias" extras.
Lembro-me da primeira vez qui fui mãe, do choque inicial que levei e da mudança radical que a minha vida sofreu. Na altura não havia estas imensas plataformas sociais que existem agora, mas ainda bem... Levei um tempo até engrenar e ter vontade de estar à frente de um computador pois a minha vida girava em torno de um mundo que desconhecia e o "baby blues" foi bem real. Entrei em licença de maternidade e depois, mudei-me para os Estados Unidos. Foi a solução que encontramos na altura, para esta nossa família luso-americana.
Lá comecei a voltar mais ativamente a fotografar e durante muitos anos foi a minha voz, o meu contacto com Portugal. Foi um blogue sempre em Português e ainda bem que assim o fiz. Não tinha um smartphone na altura e acho sinceramente isso libertador.
Quando fomos viver para Vermont, foi lá que explodiu o meu lado criativo visual. O ambiente natural era deslumbrante, a luz natural era magnífica, a neve era mágica... o tempo para cozinhar e dedicar-me aos crafts era bem maior. Os meus dias de folga eram passados com a filha única e criar um post para o blogue.
Depois disso foi Florida e outro registo visual.
Depois Minnesota e novamente uma mudança.
E agora Portugal, 3 filhas e uma enorme mudança.

O iPhone tornou-se o aliado perfeito nesta "voz" com menos disponibilidade mas que ainda tanto quer falar. Posso segurar num bebé, enquanto faço click-edit-share.

Este ultimo ano está muito resumido neste painel. Estou agora no meu país que igualmente é muito deslumbrante, tem uma luz encantadora e cheio de recantos mágicos. Não tem neve mas tem mar. Mas devo dizer que tem uma coisa muito chata: custos e processos alfandegários! haha Mas isto seria história para um outro post :)

Até já....

xoxo
Jo

27.8.17

Fairy Garden for the big * S E V E N *


Quando vejo esta lista abaixo a ficar mais comprida, apercebo-me da rapidez dos anos a passarem. Mais um ano, mais um post, mais um link na lista.

2011 - 1 ano, em Vermont
2012 - 2 anos, em Vermont
2013 - 3 anos, em Vermont (Nao há post - dia passado numa quinta)
2014 - 4 anos, na Florida
2015 - 5 anos, em Portugal
2016 - 6 anos, em Minnesota


...e os 7, em Portugal (Lisboa).


Este dia, (como para qualquer criança), é imensamente importante. Sonha, vibra, conta os dias. Quer ela crescer e ser mais velha (mal sabe ela que daqui a uns anos vai querer reverter essa vontade - hahaha).

Sendo uma aniversariante de verão, formas de o festejar têm que ser criativas, pois é uma época que está tudo de férias e ela começa agora a ficar triste por não poder ter mais amigos a participar.
Mas não faz mal, parents & family to the rescue!! No próprio dia dos anos, passamos numa piscina e praia o dia todo. Esqueci-me de por o cartão na câmara e não há fotos (ugh).
No dia seguinte, festinha pequena em casa com família. A parte mais divertida (para a mãe honestamente), é criar um tema e decorar ao estilo crafty-crafty para ela. Pequenos apontamentos e este ano, o tema foi o jardim da fada.
O bolo, esse foi o mais divertido de compor. Feito pela avó e desconstruído por mim e ela. Pode não ter ficado perfeito mas estava saboroso e com frutos da floresta trazidos pela fada :) hihihi

Parabéns minha mini teenager! Estás a crescer tão rápido! STOP! :))

23.8.17

Jardim Bordallo Pinheiro


Oba! Que dias quentes!
Não sei porquê, mas acho que suportava melhor o calor há uns anos atrás, do que suporto agora. Deixa-me maldisposta, fraca, preguiçosa, cansada... Talvez esteja a custar mais porque estamos mais tempo na cidade? Ou talvez porque dormir é algo completamente inexistente? Estamos a falar daquele dormir durante horas seguidas. I-ne-xis-tente!
Seja como for, procuramos formas de arrefecer que não inclua ficar fechado num shopping com um ar condicionado em full blast. Se bem que essa ideia não me parece nada mal. Problema é a criançada...Sobra-nos então o método de refrescar natural: sombra das árvores.

Soooooo, chegamos ao motivo deste post. Para mostrar-vos um jardim que desconhecíamos e adoramos. Sossegado, muito pouca gente, muita sombra, muitos pavões sem medo algum... e se andar pelos labirintos a apreciar o trabalho de Boldallo Pinheiro não chegar, têm sempre o museu da cidade também. Optamos só por fazer o exterior (gratuito) e deu para as miúdas descarregarem energias e ficaram encantadas com os animais gigantes em louça a decorar as paredes do palácio, dos arbustos, dos muros. A disposição das peças foi da autoria da artista Joana Vasconcelos e estamos perante um misto de lazer e ao mesmo tempo, uma exposição.
Vale mesmo a pena!
Gostei imenso desta descoberta...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...